Menina Veneno - entrevista com Luana Piovani


Por Guilherme Torres do Ragga Drops - Uma simples volta de bicicleta na praia, comprinhas no shopping ou tomar um sorvete com o namorado, não importa; tudo o que ela faz é notícia e estampa as capas dos sites de fofoca internet afora. A vida de Luana Piovani mais parece uma novela e ela concorda, mais deixa claro, “Eu escrevo os capítulos!”.
No auge dos seus 33 anos (com corpinho de 23), Luana coleciona mais de 20 trabalhos na TV, seis peças de teatro, sete filmes, além de um amontoado de participações especiais, comerciais, capas de revistas e, experimente colocar o nome dela no Google para ver no que dá.
Protagonista de um dos maiores barracos amorosos dos últimos tempos, ela agora só quer saber de trabalhar e curtir os bons frutos da carreira de atriz de teatro e a nova fase como produtora. Sumida da telinha desde 2006, quando deixou o programa “Saia Justa”, do GNT e fez o especial de fim de ano que levou seu nome “Luana Piovani é Lu”, na Globo, ela vem se dedicando cada dia mais a sua grande paixão: o teatro.
No cinema, o sucesso não ficou por menos. Seu último trabalho, o filme “A Mulher Invisível” bateu o recorde de arrecadação da Warner Bros para uma produção brasileira.
Longe das câmeras, e principalmente das lentes dos famigerados paparazzi, Luana Piovani pouco lembra a celebridade com ar de antipática e de pavio curto. De riso fácil e papo descontraído, ela conversou com o Ragga Drops. Confere aí:


Você anda meio sumida da TV e firme no teatro. Foi uma escolha? Ou rolou uma “geladeira” pra você na TV?

Não, foi uma escolha minha. Desde que eu comecei a produzir teatro eu nunca mais parei. Eu gosto mais de teatro me satisfaz mais pessoal e profissionalmente.


Você já foi modelo, atriz e apresentadora. Qual te dá mais prazer?


Ser atriz. A coisa que eu mais amo na minha vida é estar no palco de um teatro, não troco por nada.


Você já ficou com galãs da TV por quem as meninas são loucas. O que é fundamental na hora da conquista?


Acho que o fundamental é aquela coisa de “olho no olho” e principalmente o olhar bater, mas não me acho muito boa de paquera.


Você se diz uma pessoa humilde, simples pra caramba, dessas que faz amizade na praia. O seu problema então é com a imprensa?

Eu não sei o que acontece, mas eu realmente sou assim. Acho que o problema é que eu não gosto de falar da minha vida pessoal e sim de trabalho e isso que às vezes os irrita (imprensa).

Você se lembra de alguma paranóia de quando era adolescente?

(risos) Sim! Quando eu comecei como modelo, com 14 anos, eu me achava muito “bunduda”, pois eu tinha que ter 90 cm de quadril e eu tinha 98 cm e pensava “ Meu Deus, como eu vou esconder isso?”, era uma paranóia horrível, eu contava as calorias de tudo.



Por: Guilherme Torres do Ragga Drops


1 comentários:

Gui Torres disse...

Luana Piovani surpreendeu na simpátia nessa entrevista. Foi super atenciosa, além de ter feito uma foto "ragga" especialmente pra essa matéria, atendendo um a pedido meu e ainda contou quem foi o fotográfo; o namorado, Felipe Simão

Postar um comentário

.

Links Legais

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin