Volkswagen X Blogueiro


Era uma vez um blogueiro apaixonado por automóveis e designer gráfico que decidiu homenagear, criando a sua própria versão, alguns veículos ainda em produção ou que já estão aposentados. Devido a sua criatividade e habilidade, tais modelos que ele criou, com base em outros já existentes, chamou atenção na Internet e de veículos de imprensa oficiais, tal como o jornal Estado de Minas que foi onde conheci o blog.
Um dos modelos de maior sucesso é a nova Brasília, ele pegou as características mais marcantes do carango e modernizou a famosa Brasília amarela, eternizada pelos Mamonas Assassinas; uma homenagem, simulação de como seria a Brasília do século 21. Além dela, vários outros veículos, tanto da Volkswagen quanto de outras marcas, foram homenageados, mas sempre de forma respeitosa e sem fins lucrativos, uma vez que o blog dele nem ad-sense tem, portanto não tendo como ele ganhar dinheiro com isso.

Na minha concepção o tunning virtual que ele realiza, que virou moda entre os apaixonados por veículos, é uma homenagem e um marketing gratuito e efetivo para os referidos modelos, impedindo que caiam no esquecimento do grande público. Porém, numa visão tacanha de um exercito de “aDEvogados”, cerca de 80 deles, tal ação feria a imagem da empresa ( como??? ) e com um documento de 25 páginas eles exigiram que os modelos da marca alemã fossem retirados do site, sobe ameaça de processo judicial.
Contudo o povo, consumidor da marca alemã, ou não, se rebelou contra a infeliz atitude da empresa e manifestou, através de mais de 300 comentários, seu descontento e desprezo com a atitude da Volkswagen do Brasil, ameaçando não comprar mais veículos da marca, afinal uma empresa que vai contra uma singela homenagem realmente não da a mínima para o que os apaixonados por veículos e consumidores, têm a dizer. Vendo que a ação deles remeteu numa reação negativa de potenciais consumidores, inclusive alguns veículos da imprensa formal noticiando o caso ( IDG Now, Estado de Minas ) a montadora afirmou que foi uma ação isolada do setor jurídico e, analisando com maior atenção o caso, o blog poderia continuar a publicar o tunning virtual de sua marca.

Com o final feliz o blog Irmão do Décio pode voltar com as imagens no lugar das receitas de bolo – as receitas de bolo eram colocadas nos jornais no lugar de matérias que foram censuradas pela ditadura militar – e agora todos podem conferir os modelos da marca alemã sem que o blog seja processado. É difícil entender as ações de algumas pessoas que se dizem inteligentes e especialistas em algo, empregadas por uma das maiores empresas do mundo, ainda bem que o estrago foi minimizado em tempo hábil.

Clique aqui para visitar o Blog Irmão do Decio.

Mamonas Assassinas - Pelados em santos ( Brasília amarela )



Em tempo: o Pânico na TV já foi censurado, no episódio da Carolina Dieckman, e também colocou uma receita de bolo no lugar da matéria, como não a encontrei no Youtube deixo um vídeo do Censura Dinâmica.



9 comentários:

Cabruske disse...

Gostei do outro blog e da ideia de fazer uma Brasilia no seculo 21!

Belo blog
Qndo puder acesse:
http://planetacabruske.blogspot.com/

Canto do Lufa disse...

Muito bom o volks!
Eu só trocaria a cor o restaante está impecável

Juliana Rodrigues disse...

Muuuuitoooo foooda. haha
Ficou showw.Parabeens.
Adorei o blog.Sinto saudade dos Mamonas. shahsausas
Bons tmpos.
;*

Larissa Pardal disse...

adorei os vídeos.
belo blogger, beijos!

thomas chalegre disse...

muito bom mesmo!!!
parabens!
http://borameuveio.blogspot.com/

Filippe disse...

Vídeo muito bom

Chapolim disse...

Meu Deus do céu.

Advogados são uma raça filha da puta...

Fabricio bezerra da guia disse...

se tem o novo fusca pq não a nova brasila?

Administração disse...

Como você disse esses 'adevogados' se perderam e perderam com a retaliação da matriz talvez o que eles podiam ter mais precioso: a razão e a moral.

Grande arte do cara que fez as versões. Tô correndo lá no blog dele ver o que tem mais!

Postar um comentário

.

Links Legais

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin